Opus Dei - Centro Cultural Itaim
8
page-template,page-template-full_width,page-template-full_width-php,page,page-id-8,page-parent,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,paspartu_enabled,paspartu_on_bottom_fixed,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-11.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.2.1,vc_responsive
 

Opus Dei

O que é o Opus Dei?

O segredo para ser feliz é amar, e o maior amor que se pode viver é a amizade com Jesus Cristo. Foi justamente para ajudar os cristãos a se lembrarem dessa maravilhosa realidade que Deus pediu a São Josemaria, sacerdote canonizado em 2002 pelo papa São João Paulo II, que fundasse o Opus Dei (que, em latim, significa “Obra de Deus”): esforçando-se por viver diariamente uma vida cheia de oração e de serviço aos outros, todos têm ao alcance da mão a chave da felicidade.

Papa Francisco e Mons. Fernando Ocáriz, prelado do Opus Dei.
Papa Francisco e Mons. Fernando Ocáriz, prelado do Opus Dei.

Caridade fraterna na vida cotidiana

Jesus deixou claro qual deveria ser o norte da vida de um cristão: “dou-vos um novo mandamento: que vos ameis uns aos outros como eu vos amei, nisso conhecerão todos que sois meus discípulos”. Essa caridade se reveste, na prática, de formas muito diversas: inspira tanto o benfeitor que se dedica a cuidar dos pobres e dos doentes quanto o pai de família que procura tratar com carinho sua esposa e seus filhos. O que o Opus Dei procura recordar é que, mesmo nas situações mais corriqueiras, se pode viver esse amor cristão: com um sorriso, com um elogio alegre, com um detalhe de serviço…

 

Virtudes humanas

Sabemos que não é fácil começar a viver essa caridade com todos e em todos os momentos. É preciso um esforço contínuo, que se traduz em uma luta diária por crescer em pequenos pontos: são as virtudes humanas, como a alegria, a serenidade e a sinceridade, entre outras, que ajudam a pôr em prática os atos de serviço que contribuem para tornar mais amável a vida dos que nos rodeiam. As virtudes humanas são parte importante da mensagem de São Josemaria.

 

Vida de oração

A oração é verdadeiro diálogo com Deus: foi isso o que ensinaram os grandes santos da Igreja. Por isso, São Josemaria sempre animou os que participam dos apostolados da Obra (como carinhosamente se costuma chamar o “Opus Dei”) a reservar uns minutos diários dedicados à conversa com Deus – conversa de um Pai com seu filho, cheia de confiança e intimidade. No fundo, ele não fazia mais que repetir o que Cristo disse quando lhe pediram que ensinasse como fazer oração: “quando orardes, haveis de dizer: ‘Pai Nosso que estais nos Céus…’”.

 

Busca da santidade no meio da vida comum

Mas quem começa a cultivar essa amizade com Deus através da oração acaba se sentindo animado a conversar com Deus durante o restante do dia. E como se faz isso? Depende do estado de vida de cada um: os monges com as suas preces e com a rotina dos mosteiros; os leigos, com o trabalho ordinário bem feito e oferecido a Deus. Assim como o garoto que joga futebol procura, se a namorada está assistindo, jogar bem e como que “oferecer-lhe” cada gol que faz, o cristão que se sabe sempre acompanhado por seu Pai se esforça por realizar com esmero o seu trabalho profissional, com a intenção de oferecê-lo a Deus. Essa é a mensagem do Opus Dei: a vida de amizade com Cristo é plenamente acessível aos leigos, que podem viver santamente a vida cotidiana, com a santificação do trabalho (trabalho honesto feito com amor e oferecido a Deus) e o cultivo das virtudes.

Grupo de rapazes universitários em atividade organizada pelo Opus Dei em Roma.
Grupo de rapazes universitários em atividade organizada pelo Opus Dei em Roma.

Quem são os fiéis do Opus Dei

Cada fiel da Igreja Católica vive sua vida de cristão de acordo com o que percebe que Deus lhe pede. Jesus chama as pessoas para seguirem livremente os diversos caminhos que existem dentro da fé cristã, que se manifestam em diversas instituições dentro da Igreja Católica. O Opus Dei é uma dessas instituições, cuja Sede Central fica em Roma, e o responsável é  Bispo Prelado Javier Echevarria, que anima a todos para terem um grande amor e espírito de serviço ao Papa.

 

A grande maioria dos homens e mulheres que fazem parte da Obra são pessoas casadas que se santificam em sua vocação ao matrimônio, havendo também membros que vivem o celibato como meio para estar mais disponível para servir a Igreja em suas necessidades (alguns dos quais são sacerdotes). Existe também uma grande quantidade de pessoas (católicas e não católicas) que, sem pertencer ao Opus Dei, decidem contribuir com suas orações ou com seu apoio material nas obras sociais e culturais promovidas pela Obra – esses são os Cooperadores. Há, por fim, muitíssimas pessoas que frequentam os centros do Opus Dei para receber formação católica, para conversar com um sacerdote e para tomar parte nas atividades culturais que ali se organizam.